Sobre fake news e haters

Ataques orquestrados, que se alastram, têm sua força no volume; por isso é preciso ter canais próprios organizados Por Anik Suzuki

Notícias falsas são um fenômeno na internet que deve ser enfrentado com contundência – Foto: Shutterstock

Quem não se sente inseguro, com dúvidas, sobre como agir ao ser alvo de uma fake news ou de ataques virtuais organizados? As notícias falsas são um fenômeno na internet, alastram-se diariamente em posts e grupos nas redes sociais, arrastando reputações, provocando perdas e sofrimento. Por isso, são tema permanente do Conselho Editorial da RBS. Como enfrentar estas situações e não virar refém da cultura do cancelamento?

Em primeiro lugar, mantenha a sua comunicação em dia. Deixe as pessoas saberem quem você é, no que acredita e qual a sua trajetória. Assim, você terá um colchão de reputação para as horas difíceis.

Mas faça isso com cuidado: evite opiniões ou ações polêmicas desnecessárias e seja claro nos seus posicionamentos, não dê margem a múltiplas interpretações.

Ser vítima de fake news é uma situação muito angustiante. É natural pensar que, se ficarmos quietos, sem reagir, evitaremos que ela cresça. Em nossa sociedade hiperconectada, esta postura precisa ser bem avaliada em seus riscos, porque o silêncio abre espaço à dúvida e deixa um rastro de distorções ou mentiras no Google por anos. Se a acusação for grave, não deixe o acusador falando sozinho. Fale com a maioria silenciosa, aquela que não posta comentários nas redes, mas está acompanhando tudo e formando opinião. Se posicione, a verdade é muito poderosa.

Você precisará ter seus próprios canais organizados e funcionando (podem ser redes sociais, sites, fóruns online, espaços na imprensa, entre outros). Fake news e ataques orquestrados por haters têm sua força no volume. Combata volume com contundência. Seja objetivo e use a força inquestionável do argumento. E, sobretudo, seja ágil. Timing é decisivo para conter crises.

Sejamos claros: fake news não é engraçada, nem inocente. Não é posicionamento e muito menos estímulo ao debate construtivo. Ela é criada para prejudicar pessoas ou instituições, com o objetivo de obter vantagem.

Aja, não apenas para se proteger, mas também para não disseminar. Não chancele ou compartilhe informações não confirmadas. Como uma pandemia da nossa era, esse mal precisa ser enfrentado por todos. E o jornalismo profissional, de qualidade, que represente as múltiplas visões dos fatos e proporcione a cada um formar a própria opinião é um aliado indispensável no combate à desinformação.

Anik Suzuki é CEO da ANK Reputation

anik@ankreputation.com.br

*Artigo publicado no jornal Zero Hora em 27 de agosto de 2022


ENQUETE

As enchentes no Rio Grande do Sul tiveram algum impacto na imagem da sua empresa a ponto de levá-la a promover mudanças na gestão de reputação?

PUBLICAÇÕES RELACIONADAS

Potencialize a reputação nas redes sem cair em armadilha
Board
3 MIN.

Potencialize a reputação nas redes sem cair em armadilha

Maior exposição trouxe riscos, mas ideia de ficar de fora não cabe em um mundo no qual todos têm vida e personalidade virtuais

Mariana Azevedo
Leia mais
COMENTÁRIO

Preencha o formulário abaixo para enviar seu comentário:

Confira a opinião de quem já leu este conteúdo:

(nenhum comentário)