PT EN

2022 vai testar a reputação das empresas

por Anik Suzuki em 21.01.22

Na largada deste ano previsto como de dificuldades na economia e de grandes desafios para as empresas, tenho ouvido de alguns empresários e CEOs a intenção de optarem por uma comunicação mais discreta com seus públicos e até mesmo de segurarem ações de posicionamento. A explicação é o temor de frustrarem expectativas, sobretudo na comparação com os resultados de 2021. Dúvidas assim acompanham momentos de incerteza, mas tenho muita convicção de que, mais do que nunca, agora é a hora de as empresas fortalecerem seus relacionamentos e dialogarem com seus públicos por meio de uma boa gestão de reputação. Quanto maior a incerteza, mais você deve contar com sua reputação para fazer a diferença.

Passados a euforia e os brindes pela virada do calendário, todos estão conscientes de que teremos pela frente mais um ano desafiador. Nessas situações, a comunicação da empresa não precisa se concentrar nos resultados financeiros de um período marcado por cenário externo de adversidades. Para além de resultados, mesmo se positivos no curto prazo, é preciso mostrar solidez, resiliência e visão de futuro. É o momento de reafirmar que a empresa trilha uma jornada consistente com o seu propósito, transmitir credibilidade e confiança. Lembre-se que a comunicação é primordial para construir e fortalecer reputação.

Pesquisa global, divulgada pela consultoria Edelman em novembro de 2021, apurou que parâmetros exclusivamente financeiros nos investimentos de longo prazo vêm perdendo força. Um em cada três participantes do levantamento considera aspectos reputacionais intangíveis tão ou mais relevantes que o retorno monetário na hora da tomada de uma decisão de private equity. Os stakeholders estão atentos a essa transformação e só podem saber que a empresa se encontra preparada nos seus fundamentos para enfrentar mau tempo no mercado se isso for comunicado. O que estou chamando atenção aqui é que você pode construir uma agenda positiva a partir da comunicação dos seus projetos de médio e longo prazos, dos resultados não financeiros obtidos e do seu compromisso com os seus públicos e com o futuro.

Afinal, as empresas brasileiras têm na agenda temas fundamentais como estratégia ESG, transformação digital, assim como a evolução da cultura corporativa e as novas fronteiras da busca por talentos a partir dos aprendizados pós-pandemia. Nenhum deles pode esperar. Todos são fortemente relacionados com reputação e, certamente, os seus stakeholders estão interessados em saber o que a empresa está fazendo nessas áreas. Com estes temas, é possível organizar uma comunicação ativa, mostrar que a empresa está em movimento, gerando expectativas positivas. Não há dúvida de que 2022 vai testar as empresas em múltiplas frentes. Prepare-se com uma boa gestão de reputação, você vai colher bons frutos.

*Artigo produzido para a ABVCAP

Compartilhe